Reunião 07 de agosto representantes de entidades da PF e da PRF

Reunião 07 de agosto representantes de entidades da PF e da PRF

FENADEPOL participa da sessão da Comissão de Tributação e Finanças

FENADEPOL participa da sessão da Comissão de Tributação e Finanças

A pauta da sessão foi a Regulamentação do Funapol (Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-fim da Polícia Federal ) destinando os recursos disponíveis para a própria PF.

RELATOR: Deputado IZALCI LUCAS.
PARECER: pela compatibilidade financeira e orçamentária; e, no mérito, pela aprovação.

A audiência foi suspensa e a comissão voltará a se reunir no dia 02 de agosto.

DPF Gustavo Schneider – Sta. Cruz do Sul /RS

DPF Gustavo Schneider – Sta. Cruz do Sul /RS

“Hoje foi um dia movimentado para ser de greve. Por que ao contrário do que se insinuou, que o povo brasileiro é preguiçoso e aproveitou pra esticar o feriadao,  eu vi luta. Em Santa Cruz do Sul,  policiais federais e civis, policiais rodoviários federais, servidores do Judiciário promoveram um ato conjunto em frente à delegacia da PF. Sabemos que em outros pontos houve atos reunindo metalúrgicos,  professores, comerciários, bancários e trabalhadores da indústria da alimentação. A mídia e demais representantes do conservadorismo de tudo tentaram para evitar que o povo brasileiro manifestasse sua inconformidade com os rumos que o País vai tomando. Primeiro, verificando as dificuldades de mobilização, criaram a falsa história da troca do imposto sindical pela renúncia das centrais à luta pelos direitos dos trabalhadores representados pelos sindicatos. Depois omitiram todos os atos preparatórios, como se não estivéssemos na véspera de uma greve geral (a rede globo, fiel ao seu histórico de manipulação da opinião pública,  simplesmente omitiu a informação em todos os telejornais). Prefeitos e governadores alinhados com tal pensamento fizeram terrorismo com os servidores públicos, o que também aconteceu, embora mais discretamente, em âmbito federal. Divulgou-se via redes sociais (e para isso se prestaram os mandamentos virtuais que alguns alcunham de lixo, mas que prefiro nem designar) que a paralisaçãoera “coisa de vagabundos”  ou que se prestava a defender a corrupção. No dia D, não podendo mais esconder a considerável mobilização que tomou forma por todo o País, mesmo contra todo o enorme esforço realizado para neutraliza-la, optaram por destacar os pontuais aspectos negativos, conflituosos ou denotadores de incivilidades. Como se fosse possível uma mobilização dessa envergadura não fosse causar contratempo algum. Sopesados todos os fatores, a greve geral foi grandiosa. Foi um primeiro passo. Não parece ser o último. É apenas o começo de um processo que demonstra que as pessoas não estão dispostas a ver o desmonte do País, das conquistas trabalhistas, da previdência social. Um grito para lembrar que o País não é só investidores financeiros, barões da mídia e outros especuladores. Aqui há jovens, aposentados, artistas, operários, pequenos e médios empreendedores, servidores públicos, agricultores. Nós existimos. Somos a Nação e não um ativo a ser transacionado em secretas negociatas. Sem sinais de recuperação econômica e com uma taxa de desemprego que já supera catorze milhões de trabalhadores, se já era insustentável, será cada vez mais difícil fazer de conta que “as reformas” podem ser feitas na base do conchavo sem graves consequências sociais.”

União das Policias do Brasil (UPB) realiza ato público em frente ao Congresso Nacional

União das Policias do Brasil (UPB) realiza ato público em frente ao Congresso Nacional

Cerca de 5 mil policiais de todo o Brasil vieram a Brasília, nesta quarta-feira (08) para protestar contra a PEC 287/16, que retira da Constituição o artigo que reconhece a atividade de risco dos profissionais de segurança pública nos critérios de concessão da aposentadoria.

O ato público intitulado como “Dia Nacional em Defesa da Aposentadoria dos Profissionais de Segurança Pública iniciou com a concentração de policiais no gramado em frente ao Congresso, onde foi montado um cemitério com cruzes, lápides e faixas.

A abertura do evento contou com a participação de 27 parlamentares de diversos partidos políticos que apoiam a causa dos profissionais de segurança pública. Após os discursos dos parlamentares, e de alguns presidentes de entidades participantes da UPB, os manifestantes saíram em caminhada contornando o Congresso Nacional.

O objetivo da manifestação foi o de chamar atenção das autoridades sobre a ameaça à sociedade que é ter uma polícia cada vez mais envelhecida nas ruas. Pelas novas regras, para obter aposentadoria integral, o policial terá de contribuir por 49 anos, aposentando-se próximo aos 70 anos de idade, o que excede a previsão de expectativa de vida da categoria.

“É inaceitável, no país onde mais morrem policiais em serviço no mundo, o governo federal retirar da constituição que nossa atividade é de risco! Isso tem que ser revisto!”, enfatizou Sandro Torres Avelar, presidente da Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol).

Além do presidente da Fenadepol, participaram também da manifestação, a Vice-presidente de Assuntos Sindicais e Sociais, Viviane da Rosa, o Conselheiro Fiscal, Paulo Licht, o Diretor de Comunicação Social, Marcelo Zaturansky Nogueira Itagiba e o Assessor para assuntos previdenciários, Marcelo Bóssio.

Representando o Sindicato dos Delegados de Polícia Federal(Sindepol) estiveram presentes, a presidente Viviane da Rosa, o 2º Vice-presidente, Alberto Lasserre, a Secretária-geral, Maria Lívia Fortaleza, a Diretora de comunicação Social, Valquíria Souza Teixeira, o Diretor financeiro adjunto, Paulo Licht e a Diretora parlamentar, Creusa Camelier.

Os policiais civis do Distrito Federal aproveitaram o evento para realizar uma assembleia extraordinária e formalizar total apoio às ações da UPB.

Participaram também da mobilização, os policiais de outros estados como: Goiânia, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Integram a UPB:

ABC – Associação Brasileira de Criminalística

ABRAPOL – Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais

ABPFF – Associação Brasileira dos Policiais Ferroviários Federais

ADEPOL DF – Associação dos Delegados Policias Civis do Distrito Federal

ADPF – Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal

AGTBRASIL – Associação dos Agentes de Trânsito do Brasil

AMPOL – Associação Nacional das Mulheres Policiais

ANEPF – Associação Nacional dos Escrivães Polícia Federal

ANSEF – Associação Nacional dos Servidores da Polícia Federal

APCF – Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais

APCN – Associação das Polícias do Congresso Nacional

CENTRAPOL – Central Única Nacional dos Policiais Federais

COBRAPOL – Confederações Brasileiras dos Policiais Civis dos Estados

CONASSE – Conselho Nacional de Entidades Representativas de Servidores e Trabalhadores do Sistema Socioeducativo

CONGM – Conferência Nacional das Guardas Municipais do Brasil

FEBRASP – Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários

FENADEPOL – Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal

FENAGUARDAS – Federação Nacional dos Sindicatos de Guardas Civis

FENAPEF – Federação Nacional dos Policiais Federais

FENAPPI – Federação dos Peritos em Papiloscopistas e Identificação

FENAPRF – Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais

FENASPEN – Federação Nacional dos Servidores Penitenciários

FENDEPOL – Federação Nacional Sindicatos Delegados Polícias Civis

OPB – Ordem dos Policiais do Brasil

SINDEPO/DF – Sindicato dos Delegados de Polícia do DF

SINDEPOL/DF Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no DF

SINDIPOL/DF – Sindicato dos Policiais Federais do DF

SINPOC/DF – Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais do DF

SINPOL/DF – Sindicato dos Policiais Civis do DF

UNIPOL – União dos Policiais Legislativos

Fotos: Hermínio Oliveira
Link de mais fotos:  https://goo.gl/JVRTtp

 

Gláucia Oliveira

Assessoria de Imprensa da Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal

www.fenadepol.org.br

(61) 3223-3859

(61) 9-83811133

FENADEPOL participa da reunião da União dos Policiais do Brasil

FENADEPOL participa da reunião da União dos Policiais do Brasil

Na tarde desta quinta-feira (12), o presidente da FENADEPOL, Sandro Torres Avelar e a Vice-presidente para Assuntos Sindicais, Viviane da Rosa, estiveram reunidos com os demais integrantes da União dos Policiais do Brasil (UPB), na sede da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF).

A pauta principal da reunião foi a organização do Dia Nacional de Mobilização das Categorias da Segurança Pública, que acontecerá no dia 8 de fevereiro, às 13h30, em frente ao Ministério da Justiça.

O ato nacional será em defesa da aposentadoria do policial, que tem sido ameaçada pela PEC 287/2016, a chamada Reforma da Previdência.

“É inaceitável, no país onde mais morrem policiais em serviço no mundo, o governo federal retirar da constituição que nossa atividade é de risco! Isso tem que ser revisto!”, enfatizou Sandro Torres Avelar, presidente da Fenadepol.

Durante a mobilização serão entregues cartilhas que explicarão de uma forma didática o que a Reforma da Previdência propõe e como isso prejudicará a aposentadoria dos Policiais Brasileiros.

Além dos policiais do Distrito Federal, já confirmaram a presença na mobilização os policiais de Goiânia, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Os demais Estados que não vão poder comparecer ao movimento em Brasília, farão ações nos aeroportos das capitais federais.

Esta foi a terceira reunião do grupo que engloba 31 categorias da segurança pública brasileira, abrangendo desde as Guardas Municipais às polícias e instituições de alcance Federal.

No encerramento da reunião, as entidades elaboraram um oficio para o Ministro da Justiça, reiterando uma posição a respeito da solicitação enviada em 14 de Dezembro de 2016, que é o agendamento de um encontro que tem como pauta a PEC 287/2016.

O grupo se reunirá novamente no dia 19 de janeiro para deliberar outros assuntos das mobilizações feitas em várias frentes.

Criação

A União dos Policiais Brasileiros nasceu da proximidade de categorias da Segurança Pública na luta contra o fim da aposentadoria policial.

Entidades que estiveram presentes na Reunião:

 

ABC – (Associação Brasileira de Criminalística)

ADPF – (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal)

AMPOL – (Associação Nacional das Mulheres Policiais)

ANEPF – (Associação Nacional dos Escrivães Polícia Federal)

APCF – (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais)

APCN – (Associação das Polícias do Congresso Nacional)

COBRAPOL – (Confederações Brasileiras dos Policiais Civis dos Estados) FENAGUARDAS – (Federação Nacional dos Sindicatos de Guardas Civis) FENAPEF – (Federação Nacional dos Policiais Federais)

FENAPRF – (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais)

SINDEPOL-DF – (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no DF)

SINPOL – DF (Sindicato dos Policiais Civis do DF)

SINPEF-GO (Sindicato dos Policiais Federais do Góias)

SINPEF/RN (Sindicato dos Policiais Federais do Rio Grande do Norte)

Assessoria de Imprensa da FENADEPOL

Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.
(61) 3223-3859

(61) 9-83811133

 

      

União dos Policiais Brasileiros Define Dia Nacional de Luta

União dos Policiais Brasileiros Define Dia Nacional de Luta

Diretores e membros de 27 instituições representativas de categorias da segurança pública se reuniram na sede do Sindicato dos Policiais Federais no DF (Sindipol-DF) na manhã desta quarta-feira (21). O movimento aprovou a criação da União dos Policiais do Brasil e instituiu medidas a serem adotadas no próximo ano.

Foi definido pelos membros da União dos Policiais do Brasil que em 8 de fevereiro será o Dia Nacional de Mobilização das Categorias da Segurança Pública. Em 2017, as entidades farão atos em defesa da aposentadoria do policial, que está ameaçada pela PEC 287/2016, a chamada Reforma da Previdência.

Outro importante passo dado pela União dos Policiais é a criação de um fundo nacional para receber recursos dos grupos membros, com o objetivo de financiar e promover a organização das ações e mobilizações futuras.

Esforço conjunto
A União dos Policiais Brasileiros nasceu da proximidade de categorias da Segurança Pública na luta contra o fim da aposentadoria policial. Na última quarta-feira (14), o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em reunião com as entidades representativas, afirmou não ver impedimentos para excluir as categorias policiais da reforma previdenciária e trabalhar uma proposta específica em separado.

Membros da União dos Policiais Brasileiros:

ABC – (Associação Brasileira de Criminalística)
ABRAPOL (Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais)
ADEPDEL (Associação de Defesa de Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba)
ADEPOL BRASIL (Associação Nacional dos Delegados Policias Civis)
ADPESP – (Associação de Delegados de Polícia do Estado de São Paulo)
ADPF – (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal)
AMPOL – (Associação Nacional das Mulheres Policiais)
ANEPF – (Associação Nacional dos Escrivães Polícia Federal)
APCF – (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais)
APCN – (Associação das Polícias do Congresso Nacional)
CENTRAPOL- (Central Única Nacional dos Policiais Federais)
COBRAPOL – (Confederações Brasileiras dos Policiais Civis dos Estados)
CONCPC – (Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil)
CNPFF (Confederação Nacional dos Policiais Ferroviários Federais)
CONGM – (Conferência Nacional das Guardas Municipais)
FEBRASP – (Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários)
FENADEPOL – (Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal)
FENAGUARDAS – (Federação Nacional dos Sindicatos de Guardas Civis)
FENAPEF – (Federação Nacional dos Policiais Federais)
FENAPPI – (Federação dos Peritos em Papiloscopistas e Identificação)
FENAPRF – (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais)
FENASPEN – (Federação Nacional dos Servidores Penitenciários)
FENDEPOL – (Federação Nacional Sindicatos Delegados Polícias Civis)
OPB – (Ordem dos Policiais do Brasil)
SINDEPO-DF – (Sindicato dos Delegados de Polícia do DF)
SINDEPOL-DF – (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no DF)
SINDEPOL-GO – (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás)
SINDIPOL – DF – (Sindicato dos Policiais Federais do DF)
SINDPESP – (Sindicato dos Delegados decia do Estado de São Paulo)
SINPOC – DF (Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais do DF)
SINPOL – DF (Sindicato dos Policiais Civis do DF)

Fonte: FENAPRF

 

Eleições Diretor Geral PF

Eleições Diretor Geral PF

Prezados Associados da ADPF, 

Foi dado, em 27 de agosto de 2014, o primeiro passo rumo à maior justiça e legitimidade na escolha do próximo Diretor-Geral da Polícia Federal. Neste dia foi realizada a primeira reunião da comissão eleitoral formada por representantes da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e da Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol), que ficará responsável por coordenar o sistema que pretende saber a opinião de todos os delegados da PF sobre a composição da lista tríplice para uma escolha técnica do próximo dirigente máximo da PF.

Por isso, é de extrema importância sua participação nesse processo de escolha, que será realizado exclusivamente por Internet, através do site www.listatriplicedgpf.com.br. Para confirmá-la, envie seu e-mail até o dia 22 de setembro para a Comissão Eleitoral, no eleicaoDG2014@gmail.com.

Sobre a escolha:
A formação da lista tríplice para indicação do Diretor-Geral será dividido em duas fases, ambas com votação direta e secreta, cujo processo será conduzido pela comissão eleitoral composta pelos representantes da ADPF e Fenadepol. São eleitores todos os Delegados de Polícia Federal, ativos ou inativos, independente de pertencerem aos quadros da ADPF ou sindicatos filiados à Fenadepol, de todas as classes da carreira. São elegíveis todos os Delegados Federais da Classe Especial, ativos ou inativos.

A votação será realizada por meio de sistema eletrônico de votação especialmente desenvolvido por empresa contratada pela ADPF, com anuência da Fenadepol. As senhas para acesso ao sistema eletrônico de votação serão secretas e randômicas, enviadas para o e-mail cadastrado de cada votante. Na primeira fase, os Delegados Federais votarão em três nomes, exclusivamente por meio de sistema eletrônico de votação. Na segunda fase os seis candidatos mais votados participarão de nova votação, para composição da lista tríplice que será encaminhada ao Ministério da Justiça e à Presidência da República, em data e forma a ser acordada com a coordenação da campanha do Presidente eleito nas Eleições 2014.

>> Confira a Resolução Conjunta 02
>> 
Confira o Edital de Convocação
>> 
Confira a Resolução Conjunta 01
>> 
Confira a Portaria 017/2014

Atenciosamente,
Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF)
Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol)

Apresentações de Alto Impacto …

Apresentações de Alto Impacto …

altoimpacto

COMUNICADO 62/2014 – FENADEPOL

COMUNICADO 62/2014 – FENADEPOL

“O Delegado de Polícia é o primeiro garantidor da legalidade e da justiça” (Celso de Mello – Ministro do STF)”

Comunicamos, consoante Resolução e Edital de Convocação anexos, o início do processo de escolha de lista tríplice para o cargo de Diretor-Geral do DPF.

Solicitamos o empenho dos Presidentes e membros das diretorias dos Sindicatos no sentido de dar a máxima divulgação e concitar a participação dos filiados na eleição, lembrando que todos os Delegados de Polícia Federal precisam se CREDENCIAR para poder exercer o seu direito de voto, cujo prazo de credenciamento se encerra no dia 22 DE SETEMBRO DE 2014.

Cordialmente,

Fortaleza/CE, 29 de agosto de 2014

Antonio Barbosa Gois – Presidente

CARTA ABERTA AOS FILIADOS E COLEGAS DELEGADOS DE POLÍCIA FEDERAL

CARTA ABERTA AOS FILIADOS E COLEGAS DELEGADOS DE POLÍCIA FEDERAL

CARTA ABERTA AOS FILIADOS E COLEGAS DELEGADOS DE POLÍCIA FEDERAL

Como Vossa Excelência já deve ter sabido, em 09/12/2013 tomamos posse na Diretoria do SINDEPOL, para o triênio de 2014/2016.

 

A primeira providência foi a de firmar um acordo com o Sindicato do Nordeste e com a FENADEPOL, pondo fim ao litígio que se arrastava desde 2006 e que, com a perda da ação, deveríamos pagar uma vultosa quantia àquelas entidades. O acordo já foi homologado pela justiça colocando um ponto final à contenda.

 

Como recebemos o sindicato com o caixa zerado estamos fazendo cortes nas despesas e deixando nossos parcos recursos para prover o sindicato de itens absolutamente necessários ao seu funcionamento e em algumas reformas mais urgentes. Estamos providenciando mudanças em nosso site para torna-lo mais ágil, facilitando os contatos e informações aos senhores;

 

Também estamos providenciando gestões no sentido de formar parcerias com algumas instituições que venham a oferecer benefícios aos filiados;

 

Várias decisões tomadas em assembleia poderão ser visualizadas nas atas através do nosso site www.sindepol.org.br

 

Agradecemos a compreensão e contamos com a cooperação de Vossas Excelências comprometendo-no de colaborar nossa entidade no papel de destaque em defesa das nossas prerrogativas e atribuições, defendendo nossos interesses e respeitando todas as categorias que compõem a nossa Polícia Federal.

 

Grande abraço!

Viviane da Rosa

Presidente do SINDEPOL

 

Discurso de Posse SINDEPOL

Discurso de Posse SINDEPOL

Discurso de Posse SINDEPOL

Excelentíssimo Senhor  Doutor Cláudio Gomes, Corregedor-Geral do DPF, neste ato representando o Doutor Leandro Daiello Coimbra, Diretor-geral do DPF,

Exmo. Sr. Dr. José Jair Wermann, Diretor Técnico Científico,

Exmo. Sr. Dr. Antonio Barbosa Gois, presidente da FENADEPOL,

Exmo. Sr. Dr. Joel Zarpellon Mazo, presidente do SINDEPOL,

Exmo. Sr. Dr. Lucio Jaime da Costa, presidente da Comissão Eleitoral,

Autoridades presentes já nominadas pelo Cerimonial,

Representantes classistas que me honram com suas presenças,

Caríssimos filiados ao SINDEPOL,

Colegas Delegados de Polícia Federal e policiais federais aqui presentes,

Senhoras e Senhores.

Hoje, 9 de dezembro é o Dia Internacional de Combate à Corrupção, data criada há 10 anos, durante a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, na cidade de Mérida, no México.

Esta data não poderia ser mais significativa para esta Cerimonia de Posse, já que nós, policiais, somos os agentes públicos que efetuam o combate diuturno a esse tipo de crime que vem se alastrando, cada vez mais, na nossa sociedade.

As ações de combate a corrupção passam, necessariamente, por uma mudança de comportamentos já enraizados em nossa sociedade, que vê, com tolerância, o famoso “jeitinho brasileiro”, sinônimo de privilégios indevidos. O cidadão que muitas vezes reclama  do político corrupto é o mesmo que fura filas, estaciona em vagas para idosos, recebe troco a mais e não devolve, ações estas que alimentam a cultura da corrupção.

A realidade é que temos uma sociedade desassistida devido a políticas públicas dominadas por interesses econômicos ou eleitoreiros, com reflexos nos principais necessidades da sociedade educação, saúde e segurança pública. Os desvios perpetrados nessas três vertentes fazem com que, cada vez mais, se instale na sociedade o medo gerado pela insegurança e o sentimento cada vez mais forte da injustiça social.

Neste quadro caótico, onde se mostra muito tênue a linha que separa o bem do mal, é que entramos nós, policiais federais. Para enfrentarmos esta realidade devemos ter, antes de tudo, a consciência da importância do nosso papel, do que efetivamente a sociedade espera de nós.

Muito se tem cobrado das forças policiais nos últimos tempos, mas se olharmos em volta perguntamos: o que tem sido feito pelo poder público para dar condições capazes de efetivar melhoria nas suas atuações. O que vemos é o sucateamento das nossas polícias, com cortes orçamentários anuais, com salários defasados, que sequer acompanham os índices inflacionários que já se mostram vorazes, cortes nas vagas dos efetivos, já minguados e insuficientes, para uma demanda cada vez maior de trabalho.

É neste quadro assustador, confuso, sob constantes cobranças é que entramos nós, os representantes classistas, as vozes capazes de transmitir os anseios dos nossos representados, capazes de mostrar as injustiças que são cometidas e vigiar constantemente, promovendo a defesa dos seus interesses.

A defesa da nossa categoria, e falo agora especificamente dos Delegados de Polícia Federal, passa, necessariamente pelo reconhecimento da importância do nosso trabalho e do nosso papel pelos poderes constituídos, executivo, legislativo, judiciário e ministério público, reconhecimento este já amplamente testemunhado pela sociedade brasileira.

No momento em que estão sendo propostas mudanças radicais para a segurança pública, como se fossem soluções mágicas, deixa-se de ver o que NÃO vem sendo feito em prol das forças policiais, ou melhor, o que deixou de ser feito nestes últimos anos.

O ano de 2014 será fundamental para a democracia brasileira, pois teremos eleições para Presidente da República, Câmara dos Deputados e um terço do Senado Federal, e nesse momento tão significativo de nossa sociedade, o SINDEPOL buscará, junto aos candidatos  a Presidência, Câmara e Senado Federal  àqueles que representam o pensamento dos Delegados, e que queiram, assim como nós,  uma Policia Federal forte e com independência nas suas investigações.

Precisamos unir as nossas forças, entidades associativas e classistas, propugnando por uma polícia melhor preparada, melhor capacitada e, principalmente, mais motivada ( e aqui ressalto a urgente necessidade de uma recomposição salarial mais justa), para que possamos dar uma resposta de efetividade e de eficiência a quem realmente importa: a sociedade brasileira.

O lema desta diretoria é “UNIÃO E FORÇA”, pois unidos lutaremos pelas metas da campanha: manutenção da integridade institucional da Polícia Federal, com a preservação de todas as suas atribuições como polícia judiciária e administrativa, envidar esforços conjuntos com as demais entidades classistas e com a administração do DPF, na busca de propostas de consenso que atendam os interesses de todas as categorias, assegurando as prerrogativas do cargo de Delegado de Polícia Federal e que visem, igualmente, a grandeza e o fortalecimento da nossa instituição.

Lembremo-nos do exemplo de Nelson Mandela, líder inconteste, recentemente falecido, que, mesmo após 27 anos de prisão, ao eleger-se Presidente da África do Sul esqueceu rancores e pregou a reconciliação e a superação das diferenças.

Uma de suas famosas frases pontua: “Devemos propor a coragem onde há o medo, promover o acordo onde existe o conflito e inspirar esperança onde há o desespero”.

Prezado Doutor Góis, desde já nos colocamos, eu e minha diretoria, à disposição de Vossa Excelência, para a defesa incansável da nossa categoria.

Dr. Cláudio,  diga  ao Senhor Diretor-Geral que poderá contar conosco igualmente.

As demais entidades aqui presentes vejam em nós seus futuros interlocutores e parceiros.

Meu agradecimento aos membros da minha diretoria e do Conselho Fiscal, em especial ao Dr. Fernando Segóvia, Vice Presidente e Dr. Bolivar Steinmetz, Diretor Parlamentar, lideranças incontestes da nossa categoria, nas pessoas de quem agradeço a todos os demais por terem aceitado o desafio de compartilhar a honrosa tarefa de dirigir o SINDEPOL. Conto com a colaboração inestimável dos senhores para cumprir nossos objetivos de campanha.

Quero externar meu agradecimento ao Dr. Mazo, que se empenhou com muito denodo nos últimos 6 anos, na condução dos destinos deste sindicato.

Senhores Filiados, agradeço em meu nome e da diretoria a confiança em nós depositada para defender vossos interesses, confiança esta que esperamos corresponder. Senhores Delegados ainda não filiados, tendo em vista que as atribuições associativas e sindicais são de natureza distinta, mas complementares, conto com todos para a Campanha de filiação ao SINDEPOL, que será desencadeada a partir de hoje. O nosso fortalecimento consolidará a vossa força. Pedimos-lhes um voto de confiança em nossa força de trabalho.

Agradeço, comovida, a presença de todos vocês, em especial de amigos e amigas não policiais que aqui vieram para prestigiar-me com suas presenças. À minha mãe, exemplo de força de vontade e superação em minha vida, sempre presente e hoje ausente por motivo de saúde e  ao meu filho Eduardo, meu sempre aliado, que, por motivo de viagem, também não pode fazer-se presente.

Aproveito a oportunidade para lembrar os filiados que a nossa AGO continuará amanhã, ás 9 horas, no auditório do Hotel Bonaparte.

Mais uma vez obrigada a todos pela honrosa presença e pela atenção. Boa noite.

Viviane da Rosa

Presidente do Sinepol

Convite de Posse

Convite de Posse

Convite de Posse

convite